9 de janeiro de 2017

Um novo horizonte: planejar é preciso

Estimados Tricolores,

Feliz 2017! Esperamos a apresentação do elenco para fazer nosso primeiro texto do ano. Temos acompanhado as redes sociais e entendemos a ansiedade e insatisfação dos torcedores em relação à nova gestão que começou em 20/12/2016. Somos parte da base de apoio e por isso temos a obrigação de esclarecer o que seja possível dentro da confidencialidade que se exige em alguns temas. A eleição acabou, portanto não vamos discutir o que passou.

Dito isso, comentaremos o início da gestão. Pelo formato definido, dentro da união proposta, a chapa Somos Fluminense indicou as VPs Geral, de Marketing, Social, Financeira e Governança Corporativa, e isso faz com que a gestão tenha uma cara nova apesar de ser a candidatura considerada da situação. E ter uma cara nova, exige mudanças de pensamentos e maneira de operar. A primeira é entender a situação do clube. Revisar contas, revisar as finanças, revisar contratos e saber o que o clube pode ou não fazer. Em tempos de Profut não existe mais espaço para gestões temerárias que pagam fortunas a jogadores ou comprometem o orçamento do clube, sem saber se poderão honrar seus compromissos. Se queremos construir o Fluminense do futuro, precisamos ser responsáveis. E isso passa por planejar e executar algo que se possa cumprir, sem deixar de respeitar a grandeza e a história do Fluminense.

Como dissemos no início, entendemos a ansiedade do torcedor. Fazemos parte dela. Convivemos com ela todos os dias. Mas é preciso entender o momento. A situação do clube é complicada, ainda estamos longe de ter dinheiro sobrando e nossa perspectiva de receita é grande mas nada que se compare a outros clubes. E aqui chegamos ao primeiro desafio: a responsabilidade de equilibrar as receitas do clube não é obrigação do torcedor. Ele é parte do processo mas o grande responsável somos nós que estamos na gestão. E exatamente isso que está sendo feito. O clube precisa organizar o marketing, encontrar fontes de receitas, atrair o torcedor, contratar jogadores, investir nos Esportes Olímpicos resgatando nossa tradição, implementar novas regras de governança e principalmente, investir no seu futuro. Sem querer mencionar, mas exatamente o que foi feito na dissidência. Sabemos que um clube grande não aguenta ficar 3 anos sem disputar títulos mas a realidade atual é que é necessário ter os pés no chão. 

O nosso torcedor tem todo o direito de reclamar mas também pode fazer parte do processo de reestruturação do clube. Numa conta rápida, se 200 mil torcedores contribuíssem com R$30,00 mensais, o clube teria uma receita de R$6 milhões, chegando a R$72 milhões no ano. Imaginem o salto de qualidade que o clube daria com isso? Nosso potencial hoje é de gerar 200 milhões de receitas anuais considerando todas as fontes possíveis (patrocinador master, de material, bilheterias, TV, marketing e sócios). Poderíamos aumentar esse potencial quase 50% somente com o apoio do torcedor.

Só que o torcedor vive no dilema do ovo e da galinha: se baseia no resultado e no time. Se o clube disputa títulos e tem craques, todos querem participar. Mas na dificuldade...
Respeitando as necessidades e prioridades de cada um, além do momento financeiro do país, será que no nosso universo de torcedores não podemos encontrar 200 mil que possam contribuir com R$30,00 por mês? Cabe ao clube encontrar maneiras de atrair o torcedor e isso que está sendo feito. Infelizmente não na velocidade que se esperava mas não existe ninguém enrolando.

Sobre o futebol a prioridade deve ser enxugar o elenco. Já foram dispensados ou negociados 22 jogadores. Um elenco inteiro. Não adianta ficar discutindo quem foi o culpado ou porque o clube tem tantos ou certos jogadores. Nem porque os salários são os que estão sendo pagos. O que precisamos fazer é focar em como reorganizar o elenco e economizar para poder reforçar. Não podemos ser irresponsáveis e investir desordenadamente. O profut não permite dívidas novas e na situação encontrada no futebol é necessário primeiro arrumar a casa. Portanto afirmamos que estamos de acordo com o planejamento executado no futebol até o momento. Primeiro dispensar e economizar. Depois investir a longo prazo e com inteligência, sem gastar com jogadores que não vão agregar. Entre trazer um suposto experiente que apenas onerará a folha, é melhor investir num garoto da base. Simples como sempre foi feito pelo Fluminense em toda sua história até 1995.

Talvez não seja isso que o torcedor esperasse mas essa é a realidade. Agora o foco é arrumar a casa e dentro do possível, montar um elenco que possa nos defender com honra e dignidade. Ninguém está jogando a toalha ou desistindo. Mas precisamos nesse momento de menos gente atirando pedras e mais gente apoiando. Que as pessoas esqueçam suas rixas pessoais, suas birras, suas implicâncias do passado. Sem união o Fluminense não sobreviverá. Nosso sonho e já fizemos contatos com diversas lideranças de grupos políticos, é unir integralmente o clube. De nada serve somente criticar sem apresentar sugestões. Queremos que todos sejam vidraça.

Esperança Tricolor

2 comentários:

Julio Cezar Carvalho disse...

A prioridade agora é conseguir se desfazer destas barangas que foram contratadas justamente por pressão da mídia e da torcida, espero que a nova diretoria não se deixe levar novamente pelas mesmas pressões, até porque não temos nada de relevante para disputar nestes primeiros meses 2017, temos elenco hoje para disputar o Carioca e a Primeira Liga, haja vista que Flamengo e Botafogo, estarão mais voltados para outras competições, o Flamengo por não ter acertado com a Globo e o Botafogo por iniciar a Libertadores agora em janeiro. A hora de dar oportunidades à molecada de Xerém é esta. Saudações Tricolores!

Edu Kabessa disse...

Primeira coisa: "Revisar contas, revisar as finanças" NÃO PRECISA, o atual presidente foi VP de finanças e ELE msm disse que estava tudo certo...outra coisa: "O clube precisa organizar o marketing, encontrar fontes de receitas, atrair o torcedor" Nunca teve MKT e nunca conseguiu atrair o torcedor, e pelo que sei, os VPs continuam os mesmos...kkk "O nosso torcedor tem todo o direito de reclamar mas também pode fazer parte do processo de reestruturação do clube" começou a jogar a culpa em nós torcedores...sabia...outra: "Poderíamos aumentar esse potencial quase 50% somente com o apoio do torcedor." ONDE? Se o Flu não pode mais jogar no Maraca mesmo com um contrato q ninguém viu, ninguém sabe...mais uma coisa: "será que no nosso universo de torcedores não podemos encontrar 200 mil que possam contribuir com R$30,00 por mês?" É sério isso que vocês querem que APAREÇAM 200 mil torcedores para dar 30 reais sendo que temos só 33.000 sócios? putz...outra: "Não podemos ser irresponsáveis e investir desordenadamente" Isso foi feito na outra gestão que por sinal, o PS ainda está inserido nessa gestão...mais uma: "Mas precisamos nesse momento de menos gente atirando pedras e mais gente apoiando" TODA a mídia tricolor tem tentado ajudar mais o grupo político insiste em bloquear os torcedores em vez de ouví-los...e por fim: "Que as pessoas esqueçam suas rixas pessoais, suas birras, suas implicâncias do passado." Assim como vcs fizeram dias antes da eleição, se juntando à situação?
VÁRIOS GRUPOS TRICOLORES ESTÃO CHEIOS DE IDEIAS E QUERENDO AJUDAR A TIRAR O FLU DO FUNDO DO POÇO, mas muitos daí se acham tão superiores que não aceitam sugestões, por isso os torcedores estão tão desesperançosos. Na minha opinião, o que a nova gestão fizer de certo será amplamente aplaudida, mas até agora não mostrou nada. Sou tricolor desde que eu nasci, e quero gritar campeão TODOS os anos, o Fluminense é GIGANTE e temos que tratá-lo como tal!

Postar um comentário