25 de agosto de 2016

Uso da máquina

A atual gestão é craque em usar redes sociais e através delas controla e manipula o torcedor tricolor. Factóides são usados constantemente numa máquina política e midiática frenética. E agora geraram um novo: acusam o candidato de oposição Pedro Trengrouse de querer se beneficiar antecipadamente do cadastro de eleitores.

Mais uma acusação falsa e leviana dessa gestão. O que eles não informam é que todos os candidatos terão acesso a esse cadastro 15 dias antes do pleito eleitoral mas obviamente o candidato da situação terá acesso antes. Isso sim é vantagem desleal. E não estamos especulando. Isso aconteceu na eleição anterior em que a situação mandava mensagens aos sócios muito antes dos 15 dias, travestidas de informações sobre o clube, quando na verdade eram propaganda da gestão e de seu candidato a reeleição.

Recentemente tivemos caso similar quando o candidato da situação elogiou a camisa com referência a Taça Olímpica, um dia antes do jogo, mostrando ter acesso e fazendo uso político de informação privilegiada. Usar a máquina é parte de qualquer campanha mas queremos ser justos ou justiça só serve quando beneficia a
alguns?

Está na hora da gestão Peter e da Flusócio aprenderem que fazem parte de um clube fidalgo. E fidalguia exige transparência. Sem factoides. Sem mentiras. Aguardamos o candidato Pedro Abad se dispor a debater suas idéias e projetos com seu xará Pedro Trengrouse. Mas ele não aceitará por um motivo simples: ele não tem projeto. Por isso precisa baixar o nível da campanha e gerar brigas. Isso é ser tricolor?

Esperança Tricolor

23 de julho de 2016

Nós somos a história

Nós somos a história. Não sei quem criou esse lema mas foi muito feliz. Exatamente isso somos. O Fluminense é a centelha, a fagulha original do esporte brasileiro. Um clube pioneiro, fidalgo, composto por uma torcida inteligente, exigente e crítica. Uma torcida que não se deixa levar pelo oba oba ou pela oferta de pão e circo. Que não segue o efeito manada. Uma torcida que não se deixa manipular nem aceita as frases feitas tipo "deixou chegar, já era". Ignoramos essas imbecilidades. Somos superiores a isso.

E por isso confio no julgamento que essa mesma torcida fará no pleito eleitoral de novembro. Não podemos deixar que os que defendem a perpetuação do poder nos enganem. Temos hoje uma gestão que se especializou de maneira inteligente na manipulação midiática através das redes sociais.

Seus representantes nas redes sociais se notabilizam por iniciar seus posts com a frase "não sou de nenhum grupo político mas...". São especialistas em dourar a pílula, em transformar derrotas em vitórias somente usando a retórica.

E essa é a estratégia das eleições. Seu cabo eleitoral é o atual presidente e o domínio do poder. Nada melhor do que sentar no trono e poder decidir quando e o que será feito. O que farão agora é claro:

1) deixar o time afundar;

2) montar um novo elenco no meio do campeonato;

3) ver o time subir na tabela (e como fanático que sou ficarei feliz com isso);

4) contratar "estrelas" para 2017, no melhor estilo "olha como essa gestão é boa!";

5) inaugurarão o CT em outubro mesmo sem estar totalmente pronto e tendo sido feito graças a uma iniciativa individual e não a um planejamento estratégico;

6) anunciarão a posse de um terreno doado pela Prefeitura para fazer um estádio fora das Laranjeiras;

7) mais uma vez "trabalharão" os números e apresentarão um resultado financeiro positivo mesmo que para isso usem de malabarismos legais.

8) usarão isso para se perpetuar por mais 6 anos no poder e não por serem ruins mas sim porque de verdade se julgam os salvadores do clube. E aqui pergunto a você torcedor: qual clube? O de 114 anos ou o que eles acham que criaram em 2011?

E você o que fará? Será manipulado? Eu fiz minha opção e a deixarei clara: como participante do Esperança Tricolor apoiarei o Pedro Trengrouse. E porque?

Sem a permissão do Pedro citarei uma passagem com ele. Ontem conversávamos sobre apoios políticos. E falamos de uma determinada pessoa e eu disse que essa pessoa só o apoiaria caso ele desse cargos no clube ou cadeiras no Conselho. Sua resposta foi exatamente a minha: eu não vou dar nada para ele me apoiar. Se ele quiser vir comigo é bem vindo. Mas vou colocar no clube o que seja melhor para o Fluminense e não alguma barganha política.

Perfeito. Inocente? Talvez. Mas é isso que o país, o estado, cidade e clube precisam. Alguém que não se venda ao poder, que não use de subterfúgios ou mentiras para enganar o eleitor, que seja original, pioneiro e criativo. O Fluminense não seria a história se tivesse medo de ser o primeiro e de ser diferente. Querem um exemplo? Os famosos MAVs da atual gestão atacaram a idéia do Pedro em usar as redes sociais para decidir rumos do clube. Chamaram de inocente e outros absurdos. Mas o que fazem? Decidem que o nome do CT será decidido pelos torcedores. Incoerente? Plagio? Não. Esse é o estilo atual.b

O Pedro propõe o crowdfunding como uma alternativa de desenvolvimento do clube. Usar para contratação de craques e outras mais. Ridículo? Inocente? Não. O Flu fez o primeiro estádio do Brasil com uma ação de sócios que hoje em dia receberia o pomposo nome "crowdfunding". Imagina se tivessem dito "hum, isso é ridículo.". O framengo ainda remaria e nós não teriamos Laranjeiras. Isso sem falar da segunda guerra e o avião doado em mais um crownfunding tricolor.

Você prefere ser manipulado e aplaudir um estádio na Barra atrás do CT associado a destruição das Laranjeiras ou você entende que "Nós somos a história" e história não se vende por um Shopping? Eu prefiro a história. Questão de caráter.

Danilo Fernandes
Sócio Contribuinte e Membro do Esperança Tricolor

21 de julho de 2016

114 anos

É muita história pra contar, daquelas que começas com um "Era uma vez..." que acelera o coração da gente.

Uma história que começou há tanto tempo e mesmo assim se renova a cada dia, 114 anos do meu Fluminense. Do Fluminense do sócio, do torcedor, do simpatizante...

O Fluminense é um patrimônio não só nosso, torcedores tricolores, mas do Brasil. É tanto pioneirismo que causa inveja a muita gente.

Sorte nossa que não estamos aqui para falar dessa gente, mas para falar da mais perfeita organização esportiva do mundo, para falar do dono do primeiro estádio do Brasil, onde surgiu a Seleção Brasileira.
Clube de Preguinho, Welfare, Valdo, Telê, Rivelino, Washington, Assis, Edinho, Super Ézio, Thiago Silva, Conca, Fred... de Oscar Cox!

Estamos preparados para receber novos ídolos e novos torcedores.

Que venham mais 114 anos para sermos felizes para sempre!

Daniel Anunciação
Sócio Contribuinte e Membro do Esperança Tricolor

11 de julho de 2016

O Silêncio dos (nada) Inocentes

Estimados tricolores,

Temos um time que é o reflexo da situação atual do clube e sua gestão: amorfo, sem vontade, desanimado, desmotivado, cumprindo tabela e esperando que dezembro chegue para se livrar de tudo. Assim é esse Fluminense que nasceu em 2011.

Temos um clube aonde o Conselho foi silenciado. O famoso barulho da maioria que cala os bons da minoria. Um clube em que seus sócios, muitos nem torcedores do clube são, não se preocupam com o uso do seu dinheiro, desde que encontrem o mínimo na sede social. Um clube em que as torcidas organizadas foram criminalizadas justamente para que se calem. Um clube em que o torcedor comum foi dominado pelo canto da sereia das mentiras, factóides e lendas urbanas.

Sim, o Levir, Gum, Cícero, etc, incluindo no etc todas as ruindades contratadas nessa gestão, tem razão: a política está atrapalhando. Realmente essa política implementada pelas lideranças da Flusócio, pelo antigo cérebro de campanha do Peter e eminência parda da gestão por um longo tempo e pelos líderes dos outros grupos de apoio, destruiu o Fluminense histórico. Quando as técnicas e estratégias do mundo político se confundem com o que se aplica num clube de futebol temos isso que vemos hoje: silenciamento do Conselho (Congresso?), da torcida (povo?), da imprensa e dos sócios. Ah mas é chato misturar política com futebol. Certo. É mesmo. Mas não há como deixar de comentar baseado no perfil das principais cabeças dessa gestão, pessoas com fortes ligações com a política nacional e seus conceitos maquiavélicos. Pessoas que levaram para dentro do clube suas estratégias e doutrinas pessoais de controle das massas e dominação.

E infelizmente tudo se agravou com a nomeação do Pelé do direito esportivo para o futebol. O excepcional advogado esportivo  picado pela mosca azul do poder, implementou um modus operandi fracassado no clube. E graças a isso chegamos aonde estamos hoje. E agora agravado por um diretor de futebol incompetente, incapaz de liderar e de sequer motivar seus comandados. Provavelmente também porque esse diretor não tenha em quem se inspirar. O presidente que deveria ser o líder, o grande general no campo de batalha, está cansado, enfadado, de saco cheio. Nitidamente no bom português, "cagando" para a situação. Seu foco claramente é no calendário, contando os dias para o fim de tudo.

Alguns dizem: "saiam da retórica e façam algo." Sim, queremos. Já demos idéias,já nos oferecemos para ajudar, mas a atual gestão é soberba demais, arrogante demais. E como o mal julgador julga por si próprio, maldosos que são com suas aspirações de guardiões do maquiavelismo, veem em qualquer oferta de ajuda uma segunda intenção, de conquista de poder político, de tomada do comando. Aonde falta humildade, falta sucesso. Assumir o futebol hoje é cadeira elétrica? Provavelmente. Mas existem tricolores de bem que não se importam de ser eletrocutados. O Fluminense precisa de quem não precisa dele. Que sofre por ele. Aqui temos vários. Basta pedir ajuda e dar espaço. Mas querem?

Esperança Tricolor

7 de julho de 2016

Tudo mudou

A torcida um dia tem que acordar e ver o que está acontecendo com clube, como pode tudo desmoronar em 4 anos? Como conseguimos?

Aliás, como o Peter conseguiu?

Saímos de um título brasileiro é um título carioca no qual passeamos em ambos campeonatos, para no ano seguinte uma eliminação na libertadores, uma sequência de venda de jogadores dos quais não recebemos nem um centavo à época, demitimos o técnico, vice de futebol, gerente de futebol e começamos a era dos técnicos nível Peter.

"Peter assume o futebol", acredito que nesse momento desandou tudo, jogadores fazendo corpo mole pela premiação do título 2012.
Peter trouxe o Luxemburgo, técnico em baixa depois o Dorival Junior (o melhor entre os outros que ele trouxe depois).
Time não dá um chute a gol contra o Santos
Resultado caímos para Série B, mas graças ao Flamengo e à Portuguesa não se consolidou a queda.

Conca volta ao clube e montamos um elenco mais forte, e o resultado?
Não chegamos às finais do carioca
Eliminados na copa do Brasil de forma vergonhosa para o América de Natal, por 5x2, no Maracanã, eliminação para o Goiás na Copa Sulamericana e um pífio 5º lugar no Brasileiro .
Devido ao elenco era o mínimo uma vaga na Libertadores.

Fim do ano com paz?

A Unimed rompe com clube de forma unilateral, entramos na fase de jogadores baratos.

E tudo mudou e como mudou.

Não chegamos mais uma vez na final do Carioca, eliminados na semi-final da Copa do Brasil, onde já havíamos entrado na fase anterior.

Vendemos o Conca pela segunda vez (Era pra construir o CT, lembra?).
No Brasileiro fizemos conta para não cair até a ante penúltima rodada.
E brincando de técnicos.
Nenhum no nível do Flu.
E jogadores como Renato, Victor Oliveira...
Chegaram no pacotão de 8 contratações.
Nenhum ficou para 2016.

2016 estamos vivendo o pior momento do clube
Quando acertamos com um técnico de verdade, o elenco é de mentira.

E só para finalizar como tudo mudou:

2010 campeão brasileiro

Sheik sai do Flu a gritos pelo Peter - Ganhou tudo no Corinthians
Muricy sai do Flu reclamando dos ratos - Ganhou a libertadores pelo Santos
Conca é vendido com a finalidade do CT, que está sendo construído sem o dinheiro da venda dele
Fred sai do clube por questões financeiras e alívio para o clube

Como perguntou o repórter:

Todos são errados Peter, menos você?

Tudo mudou mesmo

Diogo Filizzola
Sócio Futebol e Membro do Esperança Tricolor